SIMPLESMENTE_ACONTECECecelia Ahern
(4/5)
Novo Conceito
2014
448 páginas

Sinopse: O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.

Opinião: Assim que eu recebi o livro ele entrou na minha lista de leitura porque eu sou fã da autora Cecelia Ahern e sabia que poderia esperar algo bom.
Pela sinopse parecia ser um livro fofinho e de fácil leitura, como todas as histórias que a autora escreve. Não me decepcionei nessa parte, mas o que me surpreendeu foi que o livro é todo escrito no formato de cartas, bilhetes, e-mail e mensagens. Imaginava que teria esse tipo de coisa e na capa está escrito que ele é inteiramente narrado dessa forma, mas só fui entender que a história é mesmo inteiramente neste formato quando comecei a ler.
Nunca tinha lido um livro assim e fiquei bastante surpresa.
As cenas aconteciam, eram contadas na história (depois que aconteciam) e eu tinha que imaginar tudo. Achei a técnica maravilhosa, mas fiquei intrigada em como ficou o filme.
Falando em filme, o título do filme em português é Onde terminam os arco-íris, bem parecido com o título original do livro Where rainbows end, mas diferente do título original do filme Love, Rosie. Não consigo entender qual o problema das pessoas com os títulos. Sério, deu nó na minha cabeça esse troca-troca de nomes.
Em relação à história, o livro fala do relacionamento entre Alex e Rosie desde quando eles tinham 5 anos e começaram a estudar juntos.
Eles se tornaram melhores amigos e trocam bilhetes, cartas e todo o tipo de mensagens o tempo todo. Acompanhamos o crescimento e amadurecimento deles pela escrita. Conforme eles vão crescendo a linguagem vai mudando e se tornando mais complexa. Além dos problemas serem diferentes.
Os planos deles de infância de ficarem sempre juntos parecia perfeito, mas no último ano da escola Alex teve que se mudar com a família para Boston e ficou longe de Rosie, isso não impediu que eles continuassem amigos e trocando cartas.
Eles tiveram que adaptar o plano original e Rosie iria fazer faculdade em Boston para ficar perto de Alex e eles viverem todas as aventuras universitárias juntas, mas acontece um imprevisto e Rosie precisa permanecer na Irlanda e cancelar os planos de ir para faculdade.
O tempo vai passando, a vida vai dando voltas e Alex e Rosie continuam amigos e trocando correspondências.
Ambos seguem com suas vidas, trabalham, têm relacionamentos amorosos, mas não deixam de pensar um no outro, mas o timing deles é péssimo. Quando a gente acha que eles finalmente terão um final feliz algo acontece e os planos precisam ser refeitos.
A beleza e a graça da história é essa, mostrar que o óbvio nem sempre é tão óbvio assim (e que não é estranho um melhor amigo gostar do outro e eles terem um relacionamento amoroso).
Depois de ler o livro e ver o trailer do filme fiquei morrendo de vontade de assistir ao filme. Sei que vou chorar muito, mas fiquei morrendo de curiosidade aqui.

PS: o filme é apenas baseado no livro, não é fiel à obra, então quem gosta de comparar os dois (como eu), já se prepare para coisas diferentes (sim, é uma nota mental para mim mesma).