WebSérie: Resistentes

O que você faz diante das dificuldades da vida?
Quando os problemas aparecem, como você os enfrenta?
Apesar de tudo… Você resiste?

Histórias de vidas… contadas através da VIDA.

Estou desde fevereiro tentando escrever sobre essa websérie, mas até hoje não saiu nada porque é totalmente impossível escrever sobre ela sem ser parcial.
Primeiramente porque eu faço parte do elenco. Sou Stephanie Braga, dona da sorveteria Frutos de Goiás e tenho que lidar com as trapalhadas dos meus irmãos mais novos: Bernardo e Robson. O primeiro fica querendo dar em cima de todas as clientes e o segundo acha lindo o comportamento do irmão. Mereço?
Em segundo lugar, porque tenho amigos no projeto. Sou suspeita de falar, mas sério, tem uma galera muito boa no elenco. Nos bastidores a gente ficava assistindo à cena ser gravada e a vontade era de gritar “uhuuu!! Arrasou!” e sair batendo palmas, mas tinha que manter o silêncio, né? Então a gente se controla e se emociona e dá os parabéns depois de pronto.

Bom, uma websérie é uma série desenvolvida para a internet. O tempo dos episódios e o tamanho das temporadas são elaborados de modo a atender o público virtual. Geralmente é tudo mais compacto, sem perder a qualidade, você assiste a um episódio enquanto espera uma consulta médica, no trajeto do ônibus, na pausa do almoço…
A primeira temporada de Resistentes possui 10 episódios, cada um com a média de 20 minutos.

Em Resistentes, conhecemos o político Luiz Alberto, o pior tipo de pessoa. Ao longo dos episódios ele vai mostrando para que veio e no fim só desejamos que a justiça seja feita (vem logo, 2ª temporada!!).
Temos também a batalhadora, Luciana, viúva e dona do Restaurante Século XXI. Ela precisa cuidar dos filhos pequenos e administrar as contas do restaurante, que estão no vermelho. Lola da boate Usina também não fica atrás da Luciana. Ela vive um sério problema com a filha, pois a menina quer saber a todo custo quem é o seu pai, mas Lola não revela o nome dele por nada.
É de mulheres resistentes que a série fala, não é mesmo? Porque ainda temos a Lucélia do salão que tem que segurar a língua da sua irmã Berenice e separar as brigas constantes das suas filhas. E, para completar o time das mulheres donas da p**** toda, temos a Stephanie Braga, que eu já falei ali em cima.
Além dessas mulheres e suas vidas difíceis, temos os jovens jornalistas, que não se cansam de procurar pistas para incriminar Luiz Alberto.
Uma websérie cheia de reviravoltas, discussões e conflitos.
Todos os episódios já estão disponíveis no canal Oficina de Atores Abel Santana no YouTube.
Para assistir ao primeiro episódio é só clicar no play:

A segunda temporada estreia em 2019 no YouTube.

Continue Reading

Wishlist: vestidos

Não sei onde vocês moram, mas aqui em Vitorinha não faz frio (não considero mínima de 19ºC frio, sorry) e no máximo temos uma temperatura mais amena na qual podemos sair do banho pingando água e não suor.
Em dias assim a gente pode se produzir um pouquinho mais na certeza de que o calor não vai derreter a make, nem marcar a roupa com manchas de suor.

Eu gosto muito de usar vestidos quando quero sair mais “arrumadinha”, mas nada muito chique (ocasião: almoçar fora ou sair para lanchar). Mesmo sendo oficialmente inverno, eu gosto dos vestidos de meia estação, pois não são muito quentes, como as roupas de inverno, mas possuem um pouquinho mais de tecido (como diz mamys, para não ficar muito pelada), deixando a gente confortável e protegendo de um vento mais fresco que vem do mar.

Como frio virou artigo de luxo por aqui, vestidos e roupas mais confortáveis não saem da wishlist. Todo modelo novo que eu vejo já quero comprar e usar.

Todos esses modelos lindos são do site Zaful, que faz entrega gratuita em todo mundo. Além de vestidos, eles também têm calças, blusas, roupas femininas e masculinas, calçados e acessórios diversos. Tudo em diversos tamanhos, só entrar no site e ver as medidas certinhas para o seu corpo. Quer um vestido novo também? Veja mais detalhes aqui.

Continue Reading

Top 3: Melhores viagens

Eu não sou uma pessoa que viaja para destinos diferentes. Até gostaria, mas os destinos dos sonhos não estão disponíveis para o orçamento, então fico conhecendo cada vez mais os lugares que não consegui visitar totalmente.
Vou fazer o Top 3 das minhas melhores viagens.

#3 Rio de Janeiro 2008

Eu não gosto muito do Rio de Janeiro, mas essa viagem, em especial, entra no top de viagens preferidas porque foi o primeiro show internacional que fui e também a primeira vez que eu vi a Madonna ao vivo. Foi em 2008 (nem parece que foi há tanto tempo), na turnê Stick & Sweet.
Foi tudo muito maravilhoso e mesmo se passando quase 10 anos não tenho outra para substituir. Contei detalhes neste post aqui.

#2 São Paulo 2017

Toda vez que vou a São Paulo a sensação é nova e diferente. Impossível conhecer a cidade toda e ela está sempre em mudança, então cada viagem é uma surpresa.
Definitivamente, São Paulo é uma das cidades que eu mais amo. Pode ter um clima multipolar, trânsito, violência e purê no cachorro-quente, mas mesmo assim é um pouco mágica. The city of blinding lights, como eu costumo chamar. Não sei se eu teria vontade de morar na cidade, talvez me cansaria de toda movimentação, poluição e não poder ver o mar diariamente, mas para passear eu gosto muito.
De todas as viagens, coloquei a de 2017 em #2 pelo motivo óbvio de eu ter conhecido a Mel C. Mas vai um pouco além disso: eu estava em uma cidade que eu gosto, com meus amigos de mais de uma década, recordando bons momentos e vendo minha ídola ao vivo. #melhordiadavida

#1 Santa Catarina 2002

Essa viagem poderia incluir mais nomes de estados e cidades, porque saí de Vitória (de ônibus) com destino ao Beto Carrero, em Penha – SC. Na viagem passei um dia em Curitiba – PR, que eu jurei voltar um dia para conhecer todos os parques e passar frio de novo, um dia em São Paulo e três dias em Blumenau – SC, onde fiquei hospedada.
De Blumenau ao Beto Carrero, era aproximadamente 1h de viagem. Para quem fazia um percurso parecido para ir à escola (e depois faculdades), a distância não era nada. E dentro de um ônibus de viagem era festa.
Foi minha primeira viagem sozinha (fui apenas com o pessoal da excursão e sem nenhum conhecido – fiz amizade com uma menina da minha idade, 15 anos, e ficamos juntas o tempo todo), então tudo era ainda mais especial.
Passamos metade de um dia fazendo compras em Blumenau, visitando lojas de fábrica de cristais e roupas (o tempo foi curto, mas a mala voltou cheia de comprinhas).
Por dois dias fomos ao Beto Carrero World, o maior parque temático da América Latina. Quando eu fui, as melhores atrações eram para crianças, não tinha tantos brinquedos radicais, mas hoje há mais brinquedos e atrações para todas as idades.
Eu nunca tinha andado de montanha-russa e amei tanto que aproveitei que estava sem fila em um dos dias e fui três vezes seguidas.

Aproveitamos metade do nosso último dia em Blumenau e fomos para Balneário Camboriú, que também ficava a 1h do hotel. De 2002 para cá muita coisa mudou, a cidade cresceu e com certeza que várias das casas em Balneário Camboriú se tornaram prédios. A cidade é conhecida como Dubai Brasileira por causa de seus inúmeros arranha-céus e muitos turistas. Eu fui no inverno e tinha turista!!
A cidade é iluminada pelo Cristo Luz, uma estátua de Jesus Cristo, parecida com o Cristo Redentor do RJ, mas um pouco menor.
Quando fui, já existia o teleférico Laranjeiras, mas infelizmente eu não tive tempo de ir.
Se eu não moraria em São Paulo por não ter mar, a solução está em Balneário Camboriú. Tem praia, tem mar, tem vida noturna movimentada, tem turista… o IDH é alto e é BEM menos violenta que São Paulo. Moraria fácil!
Super queria um apartamento em Balneário Camboriú. Passar férias em SC com turistas do Mercosul, quem nunca quis?!
E se eu puder sonhar um pouquinho mais alto, pegar minhas plantas do The Sims, contratar um bom arquiteto para transformar em realidade e construir uma casa maravilhosa em um terreno em Balneário Camboriú.
E você? Quais foram suas viagens preferidas? Moraria em alguma cidade que visitou?

Continue Reading